Category Archives: Notícias

Antecipação de 13º do INSS vai liberar R$ 56 bilhões nos próximos meses

Medida vai beneficiar 31 milhões de aposentados e pensionistas do INSS e valor deve ser pago a partir do fim de maio
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
Medida vai beneficiar 31 milhões de aposentados e pensionistas do INSS e valor deve ser pago a partir do fim de maio (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
Prometida há semanas pelo governo, a antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) será paga nos próximos dois meses. A medida deve beneficiar 31 milhões de pessoas e injetar R$ 56 bilhões na economia.
“Nos próximos dias, a antecipação dos aposentados e pensionistas do INSS. Algo em torno de R$ 56 bilhões para 31 milhões de pessoas. Isso será em duas fases”, disse nesta quarta-feira (28) o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco.
Questionado sobre a data de pagamento do benefício, Bianco acrescentou que “tudo indica que teremos uma antecipação para os dois meses subsequentes”. Ele explicou que o INSS já começou a fazer os pagamentos do mês de abril e que, por isso, deve fazer a antecipação “para daqui a dois meses”.
Segundo o calendário de pagamentos do INSS, os pagamentos deste mês começaram na segunda-feira (26) e vão até a sexta-feira da semana que vem (7). O ciclo de pagamentos seguinte começa em 25 de maio e vai até 8 de junho; e o posterior vai de 24 de junho a 7 de julho. É possível, então, que a antecipação do 13º salário seja paga nessas datas.
Impasses do Orçamento
Bianco admitiu que, apesar de ter aprovado a antecipação do 13º há algum tempo, o governo precisou postergar esses pagamentos por conta dos impasses do Orçamento de 2021, que só foi sancionado na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro. “Fomos obrigados a postergar a antecipação em decorrência da necessidade de aprovação da LOA [Lei Orçamentária Anual] para que pudéssemos fazer a antecipação. Trata-se de um montante significativo de dinheiro”, alegou.
O secretário garantiu, ainda que a antecipação já foi aprovada de forma consensual pelo governo. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também reforçou a promessa de antecipar o 13º dos aposentados e pensionistas quarta-feira. “Com a aprovação do Orçamento, torna-se possível. São R$ 56 bilhões”, afirmou o chefe da equipe econômica, durante a apresentação dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
Fonte: Diário de Pernambuco

País cria 184 mil vagas com carteira assinada em março, mês com restrição a atividades

No acumulado de janeiro a março, o saldo no mercado de trabalho formal brasileiro é positivo
Carteira de trabalho

Foram criadas 184.140 vagas com carteira assinada no país em março, apesar do agravamento da pandemia e implementação de medidas de restrição a algumas atividades econômicas no mês.

Na noite desta terça-feira (27), o ministro Paulo Guedes (Economia) já havia informado que o balanço do mercado de trabalho formal em março foi positivo, segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) que foram oficialmente divulgados nesta quarta (28).

Apesar da abertura de vagas no mês, os números mostram um desaquecimento do mercado de trabalho, pois em janeiro foram criados 257,8 mil novos contratos e em fevereiro, 395,2 mil.

No acumulado de janeiro a março, o saldo no mercado de trabalho formal brasileiro é positivo, com a abertura de 837,1 mil vagas num período de crise provocada pela Covid-19.

No mesmo período do ano passado, haviam sido abertas 108,8 mil empregos com carteira assinada, pois, em março de 2020, o impacto da chegada do novo coronavírus resultou no encerramento de quase 276 mil contratos de trabalho formais.

Para tentar evitar demissões em massa diante da crise, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou nesta terça (27) as medidas provisórias para que regras trabalhistas sejam flexibilizadas novamente diante do agravamento da pandemia.

Com isso, foi recriado o programa que permite o corte de jornada e salários de trabalhadores da iniciativa privada, além da suspensão temporária de contratos.

Fonte: Folha de Pernambuco

FELIZ DIA DO CONTABILISTA – 25 de Abril

Em meio a tantos problemas que o Brasil e o mundo enfrentam, comemorar o Dia do Contabilista nunca se fez tão necessário, pois cabe a eles, acompanhar, conhecer e aplicar todas as decisões e diretrizes emanadas nessas situações e nas de tempos normais também.

A esse Profissional dedicado, rendemos nossa homenagem na passagem do seu dia.

Fecopar – Federação dos Contabilistas do Paraná

Paulino José de Oliveira – Presidente

Informe de rendimentos do Benefício Emergencial está disponível

A emissão do informe de rendimentos do Benefício Emergencial (BEm), referente ao ano-base 2020, está disponível no portal do Empregado do Ministério da Economia. O documento é voltado para os trabalhadores que receberam o BEm no ano passado e que estão obrigados a apresentar a Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (DIRPF).

Os empregados que fizeram acordos de redução de jornada e/ou suspensão de contrato devem declarar o valor do benefício no campo “Rendimentos Tributáveis”. As informações sobre da fonte pagadora, como nome e CNPJ, assim como o montante que deve ser declarado estarão detalhados no próprio informe fornecido ao contribuinte. O BEm é uma iniciativa prevista no Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, estabelecido pela Lei nº 14.020, de 6 de julho de 2020.

Prazo para a entrega da declaração do imposto de renda é prorrogado

Na manhã desta segunda-feira (12), foi publicada a Instrução Normativa RFB nº 2.020, de 9 de abril de 2021, que prorroga, excepcionalmente este ano, o prazo de entrega da DIRPF para o dia 31 de maio de 2021.

Na última sexta-feira (9), o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) enviou o Ofício nº 291/2021 CFC-Direx à Receita Federal do Brasil (RFB) solicitando a prorrogação da data de entrega da declaração. O texto ressaltava a dificuldade enfrentada pelos contadores para o envio do documento em função da necessidade do cumprimento das medidas essenciais de combate e de prevenção à Covid-19 determinadas por estados e por municípios.

Fonte: ComComunicação CFC/Apexunicação CFC/Apex

Impacto do novo auxílio emergencial no comércio deve ser 8 vezes menor

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destaca que, apesar da redução, o benefício é uma medida positiva como estímulo à economia e garantia à população
CNC estima que beneficiados gastem apenas 31% do dinheiro no setor

O impacto do novo auxílio emergencial no comércio varejista deve ser oito vezes menor do que no ano passado. A previsão é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que prevê que 31,2% do que for sacado pela população atendida serão gastos no setor.

No ano passado, o comércio teve uma injeção de R$ 103,8 bilhões com recursos do auxílio, o que equivale a 35,4% do que foi destinado à população. Segundo a CNC, o valor foi importante para a retomada econômica do comércio na primeira fase da pandemia. Na nova rodada do auxílio, R$ 12,75 bilhões devem ser gastos no comércio varejista.

O auxílio emergencial de 2020 teve parcelas iniciais de R$ 600, que depois foram reduzidas para R$ 300. Neste ano, será pago um valor médio de R$ 250, que pode variar de R$ 150 a R$ 375. No total, o programa pagou R$ 295 bilhões de reais a 68 milhões de pessoas no ano passado e, neste ano, deve transferir R$ 44 bilhões a 45 milhões de pessoas.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destaca que, apesar da redução, o benefício é uma medida positiva como estímulo à economia e garantia à população.

No texto divulgado hoje (7) pela confederação, Tadros diz que a oscilação do poder econômico ao longo do ano passado teve relação com esse e outros fatores, e que os períodos mais dramáticos para o comércio foram os “de determinação de lockdown”. “É preciso observar que, a partir de setembro, quando o auxílio foi reduzido à metade, o varejo conseguiu manter as vendas aquecidas. Isso porque há fatores que também impactam a capacidade de consumo da população, como o nível de isolamento social, as condições de crédito e a inflação.”

A CNC afirma que estatísticas do Banco Central apontam para o aumento do comprometimento da renda das famílias ao longo do primeiro trimestre de 2021 e estima que tenha atingido a média de 30,3%. Desse modo, a previsão é de que uma parcela menor do benefício seja revertida em consumo de bens.

No texto divulgado pela CNC, o economista Fábio Bentes, responsável pelo estudo, afirma que, por ser ainda mais contingencial que no ano passado, o novo auxílio emergencial dá baixa margem para perspectivas de consumo. “As famílias vão precisar escolher o gasto. Por isso, para além do consumo básico, como alimentação, a preferência vai ser o abatimento de uma dívida. Ou até guardar esse dinheiro para uma situação de necessidade”, diz.

Fonte: Folha de Pernambuco