Ministério da Economia divulga relatório do comércio exterior brasileiro de serviços

Publicação da Secex será anual, com informações detalhadas do comércio exterior de serviços no Brasil em 2020, além de análise da série histórica desde 2005

A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia (ME) divulgou nesta quarta-feira (16/6) o primeiro Relatório Anual do Comércio Exterior Brasileiro de Serviços. O documento analisa detalhadamente o comércio de serviços no ano de 2020, discriminando principais origens das importações, destinos das exportações e tipos de serviços comercializados, além de apresentar uma seção dedicada à dinâmica do segmento desde 2005.

 

“O setor de serviços é não só extremamente importante para a geração de renda no país, representando cerca de 70% do PIB, como tem se mostrado cada vez mais relevante para a competitividade de outros setores da economia, como a indústria”, destaca o secretário de Comércio Exterior, Lucas Ferraz.

O setor de serviços é não só extremamente importante para a geração de renda no país, representando cerca de 70% do PIB, como tem se mostrado cada vez mais relevante para a competitividade de outros setores da economia, como a indústria”, Lucas Ferraz, secretário de Comércio Exterior.

Segundo ele, essa será uma publicação anual da Secex, com o objetivo de apresentar de maneira simples e acessível para a sociedade as informações do comércio exterior brasileiro de serviços, estabelecendo também um espaço para fomento de debate e discussão sobre o setor.

Com a edição do Decreto nº 9.745 de abril de 2019, a Secex passou a ter a competência de definir e implementar estratégias de produção, análise e disseminação de dados e informações estatísticas do comércio exterior de serviços. Além disso, começou a administrar o Siscoserv, sistema que registrava as informações relativas às transações externas de serviços, mas acabou sendo definitivamente desligado em agosto de 2020, após avaliação e conclusão de que já não atendia mais os objetivos para os quais havia sido construído.

Qualidade internacional 

“Hoje, com as informações coletadas e divulgadas pelo Banco Central a partir dos contratos de câmbio, o Brasil produz dados com alta qualidade e segundo as recomendações dos manuais internacionais de estatísticas de serviços. Com a publicação desse relatório, apresentamos um olhar analítico do comércio exterior brasileiro de serviços, a partir de dados confiáveis e comparáveis internacionalmente”, explica Ferraz.

Ele destaca que o desligamento definitivo do Siscoserv gerou economia à União e desburocratização para os operadores privados. “Só em 2019, aproximadamente 5,4 milhões de registros foram feitos no sistema, que gerava um custo de R$ 24 milhões anuais aos cofres públicos”, salienta.

O Relatório Anual do Comércio Exterior Brasileiro de Serviços foi elaborado pela equipe de estatísticas da Secex, com dados que seguem as recomendações e a nomenclatura do Manual de Estatísticas de Comércio de Serviços, o MSITS de 2010, publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O novo documento está disponível para consulta na página da Secex.

Fonte: Ministério da Economia